Todo orçamento tem despesas fixas e variáveis. Quando se fala de uma casa, isso também vai depender do tipo de moradia que você resolveu alugar ou comprar. Se você tem família ou vive sozinho, este é outro fator a levar em consideração. Afinal, os gastos devem ser compartilhados.

As despesas fixas, como se deve saber, são aquelas que não mudam. Não dá pra economizar, mas também não causa surpresa. É o caso do próprio aluguel, por exemplo. O valor da mensalidade só vai mudar anualmente e, geralmente, tem aviso-prévio para você se programar. Se você acabou de alugar, peça uma carência alegando os gastos com a mudança. Se acabou de comprar, procure melhores taxas de juros e condições de pagamento.

As despesas variáveis são, obviamente, aquelas que mudam e que nos permite um certo controle de economia. Ou seja, é o caso da luz/água, do telefone/internet/tv, supermercado, gás, lazer, vestuário etc. Alguns itens deste tipo de despesa são até considerados luxo ou supérfluo. Mas não se engane, todo mundo precisa se dar ao prazer de algo, se não é capaz de, em um surto, acabar comprometendo um dinheiro que não poderia como compensação.

Anotando todas as minúncias do seu orçamento, você terá uma real noção do que gasta e arrecada por mês. Para manter tudo em ordem, separe suas despesas dos seus planos financeiros, também chamados “sonhos de consumo”, tipo uma viagem, um produto mais caro, um curso de verão, enfim. Algo que você deseja muito, mas que está na categoria de “luxos”. Você pode criar uma conta e, à medida que for economizando, depositar valores pré-estabelecidos (e também variáveis) para realizar esses sonhos tão logo possível.

Para ajudar a economizar, nosso principal conselho é que você passe um tempo sem cartão de crédito. Isso mesmo. Comprando à vista você conseguirá mais descontos nas lojas, de forma que vai economizar e planejar a curto prazo.

X